Kakinoff, da Gol: ″Teremos demanda similar ao pré-Covid em 2021″

Kakinoff, da Gol: ″Teremos demanda similar ao pré-Covid em 2021″

Paulo Kakinoff, presidente da Gol LInhas Aéreas, destaca investimento em tecnologia como um dos atributos que tem ajudado a companhia a atravessar a crise


kakinoff

Isabella Lessa
29 de setembro de 2020 – 11h28

Para Paulo Kakinoff, presidente da Gol Linhas Aéreas, o futuro não será tão disruptivo quanto apostam algumas pessoas. Ao menos sob o aspecto das jornadas de trabalho, que, segundo o executivo, ainda exigem que certas atividades sejam feitas presencialmente, como o treinamento de estagiários.

Entrevistado por Salles Neto, presidente do Grupo M&M, no Papo de CEO desta terça-feira, 29, Kakinoff exemplificou, por meio de números, os impactos da crise da Covid-19 sobre a companhia: antes da pandemia, a Gol tinha uma média de 800 voos por dia. No final de abril, a empresa começou a observar um aumento de 5% nas vendas de passagens semana a semana. Em junho, o número de voos diários ficou em 120, em julho, saltou para 250, em setembro, subiu para 320 e a expectativa é que chegue a 450 em outubro.

Apesar da retomada, Kakinoff explica que o fluxo de caixa ainda não é o mesmo, até porque antes da Covid-19, 25% dos voos da companhia eram compostos por pessoas que viajavam corporativamente. A aquisição de bilhetes deste grupo se dava por meio de agências de contas corporativas, com uma média de três semanas de antecedência. “Uma semana depois, tínhamos toda a receita no caixa. Como a tarifa era maior por causa da antecedência, essa parte representava 60% da receita de um voo. Hoje, esta demanda está próxima a zero”.

Atualmente, os clientes que viajam a lazer estão fazendo o caminho inverso: se antes da pandemia compravam com cinco meses de antecedência, hoje compram passagens uma semana antes. Por aspectos culturais e pela própria necessidade que o momento exige, essa clientela tem parcelado as compras em até cinco vezes, observa o executivo. Por não conseguir excluir as tarifas dos serviços prestados, esta demanda de lazer responde, hoje, por um quinto da receita da Gol.

No entanto, Kakinoff mantém o otimismo para 2021. “Acredito que teremos uma demanda muito similar à que tínhamos no pré-Covid. Claro que depende de três fatores, a imunidade de rebanho, o avanço de protocolos médicos para que a quantidade de mortos pela doença despenque e a tão desejada vacina. Essa previsão pode ter uma variação de meses, mas acreditamos que o mercado doméstico atinja patamares comparáveis ao da pré-Covid no ano que vem”, diz.

Um dos trunfos da Gol para lidar com a crise, observa ele, foi a construção de ferramentas digitais nos últimos anos, como o reconhecimento fácil e a geolocalização dos apps, que avisam se a pessoa não conseguirá chegar a tempo de pegar um voo. Se, antes da pandemia, 70% dos clientes utilizava os serviços da Gol sem contato humano, hoje esse índice é de 90%.

Em relação à comunicação, a empresa não deve alterar significativamente o investimento em mídia. A revista de bordo da Gol, ressalta Kakinoff, representa um esforço da companhia em estimular diálogos que fujam da superficialidade e da polarização presentes em determinados grupos da sociedade. “É uma posição estratégica de trazer luz a temas absolutamente relevantes e caros à sociedade, para nos afastarmos de crenças construídas de forma superficial e da falta de diálogo”.

 

Fonte: meioemensagem

30/09/2020

Deixe seu comentário

Sobre

A Academia Brasileira de Marketing é uma iniciativa e propriedade intelectual do Madiamundomarketing, idealizada no final dos anos 90, e institucionalizada em março de 2004.

Parceiro

ABRAMARK

ABRAMARK
Drug Synthroid Online (Levothyroxine) is used for treating low thyroid hormone levels and certain types of goiters. Abilify (Aripiprazole) is used for treating agitation caused by schizophrenia or bipolar disorder, depression. Click to see full text here:
Acquistare Cialis here.
>