‘A princípio, somos contra o novo aumento de impostos’, diz Luiza Trajano

‘A princípio, somos contra o novo aumento de impostos’, diz Luiza Trajano

ANTONIO PITA – AGÊNCIA ESTADO
18 Setembro 2015 | 15h 01

Para diretora-presidente da rede varejista Magazine Luiza, saída da crise depende de união entre políticos, empresários e sociedade. A empresária Luíza Trajano se disse contra o novo aumento de impostos proposto pelo governo no início da semana, como a retomada da CPMF. Diretora-presidente da rede varejista Magazine Luiza e presidente do Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV), a executiva avalia que o País registra o mais baixo índice de confiança já visto, mas defendeu a necessidade de ajuste. Segundo ela, a saída da crise depende de “choque de gestão”: “Temos a obrigação de não ser vira-lata e falar bem do que dá certo”.

Luiza Helena Trajano a principio

“O ajuste é necessário, mas o aumento de impostos é que estamos estudando. O (Joaquim) Levy está estudando, todo mundo está estudando o que seria bom para o Brasil e não seria prejudicial para nós e para o desenvolvimento. Sabemos que o ajuste é necessário, mas a princípio somos contra o aumento de impostos”, afirmou a empresária, aliada da presidente Dilma Rousseff.

‘Temos a obrigação de não ser vira-lata e falar bem do que dá certo’, diz Luiza

Para Luíza, a atual crise “não é a primeira nem a última” vivida pelo País, mas a saída depende de união entre políticos, empresários e sociedade. “Não tem outra forma. Só com a união em torno de um propósito maior que não os interesses de seus quintais, mas o interesse do Brasil”, completou a empresária, premiada pela Associação Comercial do Rio de Janeiro.

“Toda crise tem um fim. Tenho que olhar isso (o ajuste) como o fim. Não é a primeira crise que vivemos e não vai ser a última, mas misturou política e economia. Meu discurso é o mesmo de muitos empresários e pessoas de bom senso, só com uma grande força de união é que vamos conseguir sair dessa”, avaliou.

Além da união, a empresária defendeu que o País precisa de um “choque de gestão, fazer mais com menos”, tanto no setor público quanto entre as empresas. Luíza exaltou o mercado varejista no Brasil, mas disse ser necessário retomar a confiança. “O índice de confiança do consumidor está o mais baixo que já vivi até hoje, por conta de todas as notícias e problemas que vivemos.”

“Não posso aceitar que o País não tem mais consumo. Só 8% têm televisão de tela plana, e ainda temos 23 milhões de casas para construir para que as pessoas possam ter dignidade. Não falo de excesso de consumo, mas daquilo que todo mundo nesta sala tem.

Isso é dignidade, e temos muita gente para ter isso ainda”, completou a executiva.

Para a retomada, Luíza disse ser necessário “ações concretas”. A empresária, que assumiu em junho a presidência do Conselho Público Olímpico, órgão do governo federal responsável pela organização dos jogos, também defendeu os investimentos para o evento como oportunidade para o País.

“Temos a obrigação de não ser vira-lata. É preciso começar a falar bem das coisas que dão certo, falar bem das Olimpíadas. Não tem nada que traz mais dinheiro para a economia que o turismo, desde o táxi, artesanato, até o dono de hotel”, disse a empresária em seu discurso a empresários cariocas. “Peço a vocês que se unam. Políticos, empresários e cidadãos. Pensar não nas eleições, não na sua cidade, mas em construir o país que todos merecemos”, concluiu.

Fonte: Estadão

21/09/2015

Deixe seu comentário

Sobre

A Academia Brasileira de Marketing é uma iniciativa e propriedade intelectual do Madiamundomarketing, idealizada no final dos anos 90, e institucionalizada em março de 2004.

Parceiro

ABRAMARK

ABRAMARK
Drug Synthroid Online (Levothyroxine) is used for treating low thyroid hormone levels and certain types of goiters. Abilify (Aripiprazole) is used for treating agitation caused by schizophrenia or bipolar disorder, depression. Click to see full text here:
Acquistare Cialis here.
>